remedios

Remédio genérico, similar ou referência? É tudo igual?

Para entender a diferença entre os remédios genéricos, similares e referência, é preciso explicar alguns conceitos antes.

Quando uma medicação é estudada e fabricada se determina a sua biodisponibilidade e sua bioequivalência.

Sempre que ingerimos uma medicação ocorre a absorção, geralmente no duodeno e depois vem o processo de metabolização, geralmente no fígado, que a transforma num produto ativo, ou seja, que fará a função desejada.

A biodisponibilidade é a porcentagem da dose administrada de um fármaco que chega ao seu local de ação.

Já a bioequivalência faz a comparação entre duas medicações, de mesmo princípio ativo, mas de laboratórios diferentes, quando são administrados pela mesma via (por exemplo, via oral) e na mesma dose.

São consideradas bioequivalentes quando as formulações comparadas não mostram diferença superior a 20% em sua concentração máxima e tempo para que o pico de concentração máximo ser alcançado.

Medicamento referência é aquele fármaco inovador cuja eficácia foi comprovada cientificamente por estudos clínicos, ou seja, é uma medicação lançada pela primeira vez no mercado, é o remédio de “marca”.

Medicação genérica ou similar contém o mesmo princípio ativo do referência, mesma concentração, mesma via de administração, mesma forma terapêutica, posologia e com a mesma indicação clínica, ou seja, mesmo bioequivalência.

Os similares são aqueles fármacos produzidos pelos outros laboratórios que não é o referência.

Para ser aprovado como similar ou genérico, é necessário que tenham a mesma bioequivalência.

Desde 1999, os genéricos passam por testes de bioequivalência, e os similares, desde 2003.

remedio generico referencia

Para ficar mais claro, vamos a um exemplo.

Existe um antidepressivo muito utilizado que é a sertralina (é só um exemplo mesmo, não existe nenhum patrocínio da indústria farmacêutica para a criação desse post).

A sertralina é o princípio ativo. O referência se chama Zoloft, e alguns exemplos de similares são: tolrest, serenata, assert e por aí vai.

O genérico vem escrito na caixa apenas o princípio ativo.

 

Então é tudo a mesma coisa?

Em teoria sim. No entanto, na prática, observo que muitos pacientes respondem mais ao referência do que aos similiares ou genéricos.

Não é raro o paciente ficar ótimo com o referência, mas quando passa a usar os outros tipos, tem uma recaída e é necessário ajuste de dose.

Podendo optar, escolha sempre o referência. 

Mas lembre-se: nada de se medicar sem consultar um médico, é perigoso para sua saúde. Todo remédio deve ser prescrito por um médico. 

O importante saber que existem tratamentos muito efetivos para o TDPM e isso melhora muito a qualidade de vida das mulheres.

Esse Blog é apenas de carácter informativo e qualquer conduta médica deve ser feita única e exclusivamente por um médico. 

Clique aqui caso deseje marcar uma consulta.  

Diferença entre Remédio Genérico, Similar e Referência

Deixe uma Mensagem

Rolar para o topo
%d blogueiros gostam disto: