dieta e depressao

Medicina do estilo de vida: dieta e depressão

A depressão é uma síndrome multifatorial, ou seja, diversas causas são responsáveis pelo surgimento da doença.

Nosso estilo de vida, cada vez mais precário, tem influência direta com a saúde mental. Pouco tempo para atividade física, lazer, vida social (ainda mais em épocas de pandemia), sedentarismo, obesidade, insônia, pressão no trabalho contribuem negativamente para o desenvolvimento da depressão.

A primeira linha de tratamento é medicações psiquiátricas e psicoterapia, mas mesmo assim, mudanças de hábitos de vida são fundamentais para o sucesso do tratamento.

A medicina do estilo de vida tem uma ação na prevenção da depressão e no manejo da doença já que promove mudanças ambientais, comportamentais e psicológicas para promover o bem estar mental das pessoas.

Quais mudanças são essas? Existem estudos que já comprovaram quais mudanças no estilo de vida tem relação direta com a depressão.

Um estudo realizado em 2014 por Sarris et al descreve essas mudanças e as relações com a saúde mental.

O consumo cada vez maior de alimentos ricos em gordura saturada e açúcar refinado (“dieta ocidental”) são fatores de risco para depressão. Atualmente, nos EUA, 30% da dieta é composta desses alimentos.

Um estudo realizado na Espanha com mais de 10.000 pessoas seguidas por 4 anos mostrou relação inversa entre aderência da dieta Mediterrânea e depressão. O estudo também mostrou que não foi a depressão que causou escolhas ruins de dieta.

E por qual razão a alimentação influencia tanto a nossa saúde mental?​

A dieta ocidental está associada com o aumento de marcadores inflamatórios que, por sua vez, estão envolvidos na patofisiologia da depressão, como por exemplo, o aumento da proteína C reativa (PCR) que é um marcador inflamatório e fator de risco para depressão.

Dietas ricas em alimentos integrais e ácidos graxos essenciais e micronutrientes, como vitaminas do complexo B, zinco, magnésio e vitamina C tem potencial antioxidante e anti-inflamatório.

Além disso, diversos estudos defendem a suplementação com ômega 3 para pacientes deprimidos.

Apesar dos estudos mostrarem a relação da dieta com a depressão, eles ainda não comprovam a eficácia da mudança da dieta para o tratamento da depressão.

Vale ressaltar que excesso de vitaminas faz mal para o organismo, não pense que as vitaminas são naturais e por isso são inócuas. Nunca utilize suplementos sem a orientação médica.

Esse Blog é apenas de carácter informativo e qualquer conduta médica deve ser feita única e exclusivamente por um médico. 

Clique aqui caso deseje marcar uma consulta.  

Medicina do estilo de vida: dieta e depressão

Deixe uma Mensagem

Rolar para o topo
%d blogueiros gostam disto: