arrependimento materno

Amor materno tem que ser incondicional?

Ontem uma paciente, devo dizer que é uma das mais queridas e gentis, me trouxe essa reflexão.

Existe limite para o amor materno?

À medida que os filhos crescem, vão formando suas personalidades e se comportando de maneiras que podem não nos agradar muito. É normal sentir frustrações e decepções diante dessas situações?

Não há dúvida que os filhos não serão o que nós queremos, cada ser é único e temos que respeitar as diferenças, mas respeitar significa que estamos felizes com a postura deles?

Até quando uma mãe se sacrifica por um filho?

É tão frequente ouvir queixas dos filhos sobre os pais, mas é tão raro o inverso, principalmente vindo das mães. Tenho certeza de que as queixas dos pais são diversas, mas raramente são ditas. E quando é falado, não é na presença dos filhos.

Será culpa por admitir que o filho não é tão legal assim quanto gostaria?

Amar significa fazer tudo por eles? Eu acho que não.

Temos nossos defeitos e limites. Quando permitimos que alguém ultrapasse nossas limitações (esse alguém no caso é os filhos), adoecemos.

Adoecemos porque aceitar tudo é doloroso. Não existe ninguém que se sinta confortável em abrir mão de tudo pelo outro. Limites precisam existir e tem que estar bem claro para todos, mas podemos e devemos fazer isso de maneira amorosa e gentil.

Reflexão profunda e extensa.

Texto difícil de ser escrito, tem mais perguntas do que respostas.

Fica o convite para vocês mergulharem nessa reflexão comigo. Compartilhe seus pensamentos. 

Amor materno tem que ser incondicional?

Deixe uma Mensagem

Rolar para o topo
%d blogueiros gostam disto: