Transtorno Bipolar ou depressão

Depressão ou Transtorno Bipolar? Ou os dois?

A depressão é uma doença cada vez mais prevalente e estima-se que 350 milhões de pessoas no mundo todo são afetadas. No Brasil, a prevalência é de 5%, de acordo com o artigo publicado na Nature

Acomete duas mulheres para cada homem durante a adolescência (após a menarca – primeira menstruação) até a menopausa. Na infância e após a menopausa, a frequência passa a ser uma mulher para cada homem, segundo estudos da NCBI.

Os sintomas mais comuns são falta de ânimo, tristeza, perda do prazer nas atividades que antes gostava, crises de choro, alterações do sono e apetite, baixa auto-estima e entre outros – veja o post de Depressão para saber mais.

A depressão pode fazer parte de uma doença mais complexa, como o Transtorno Afetivo Bipolar.

O transtorno afetivo bipolar é bem mais do que oscilações do humor.

 

O Transtorno Afetivo Bipolar é bem mais do que oscilações do humor.

Assim como a depressão, o termo bipolar se vulgarizou e é dito sem nenhum rigor médico, prejudicando a procura de ajuda, o diagnóstico e o tratamento.

Este transtorno é caracterizado por oscilações do humor que se dividem em algumas classificações, sendo as mais comuns a fase depressiva, hipomaníaca e maníaca, podendo evoluir com sintomas psicóticos, nos casos mais graves.

transtorno bipolar imagem

Qualquer doença depressiva tem a mesma apresentação clínica, conforme descrito acima, independente se é uma depressão que faça parte do transtorno bipolar.

A fase de hipomania é de difícil reconhecimento e por isso o diagnóstico de transtorno afetivo bipolar pode levar anos para ser feito às vezes.

Nesta condição, a pessoa passa a ter mais energia, disposição, fica mais alegre e falante do que o normal ou mais irritada também.

A necessidade de horas de sono diminui devido ao aumento de energia, a pessoa passa a gastar dinheiro de maneira desnecessária, diferente do seu padrão anterior, fazendo dívidas às vezes e também ficando mais sexualizada.

O importante é perceber que a pessoa muda em relação ao seu padrão anterior.

Isso traz consequências negativas pois, apesar do aumento de energia e por consequência mais envolvimento em diversas atividades, a produtividade diminuiu, já que a pessoa começa várias coisas ao mesmo tempo, mas não consegue terminar.

Há impacto financeiro devido ao aumento dos gastos. Maior exposição sexual e maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis e gravidez não planejada.

O que difere a hipomania da mania é a intensidade dos sintomas. Na mania, os sintomas são bem mais intensos, mais pronunciados, da maior gravidade, sobretudo quando vem acompanhado de sintomas psicóticos. Nesses casos, a grande maioria dos pacientes necessita de internação.

A prevalência do transtorno afetivo bipolar é em torno de 4%, e não difere entre homens e mulheres, mas nas mulheres se sobressai as fases depressivas e hipomaníacas – Fonte NCBI.

 

Na maioria das vezes, o transtorno afetivo bipolar se inicia na fase depressiva, e por isso em qualquer quadro depressivo deve ser investigado sinais sugestivos de transtorno afetivo bipolar.

Durante a gravidez e o puerpério não é diferente.

Por vezes, um quadro inicial de depressão puerperal faz parte, na verdade, de um transtorno bipolar.

depressão

Gestantes e puérperas que tenham esse diagnóstico devem ser tratadas, se engana quem pensa que todas as medicações psiquiátricas são proibidas nessa fase.

O importante é não ter medo de procurar ajuda.

Esse Blog é apenas de carácter informativo e qualquer conduta médica deve ser feita única e exclusivamente por um médico. 

Clique aqui caso deseje marcar uma consulta.  

Transtorno Bipolar ou Depressão?

Deixe uma Mensagem

Rolar para o topo